Oito MVPs, seis Super Bowls e quatro títulos: chega ao fim a ‘Era Manning’ na NFL

O sobrenome “Manning” pode ser considerado um sinônimo de futebol americano – não é exagero dizer que trata-se da família com maior importância e relevância na era moderna da NFL. Os números são incontestáveis: em 34 dos últimos 48 anos a liga teve, pelo menos, um quarterback com o sobrenome “Manning” em campo. Após 22 anos ininterruptos, a dinastia finalmente chegou ao final nesta sexta-feira (24) – com o anúncio de aposentadoria de Eli Manning na sede oficial do New York Giants.

Se somar os números de Archie, Peyton e Eli Manning, as estatísticas são incontestáveis: são 653 jogos, 338 vitórias, 152,874 jardas aéreas e 1,030 touchdowns! O trio soma 20 convocações ao Pro Bowl: duas de Archie, quatro de Eli e 14 de Peyton.

Falando de títulos, são seis finais disputadas e quatro títulos de Super Bowl: Peyton venceu nas temporadas 2006 e 2015 e Eli em 2007 e 2011. Sobre MVP, Peyton possui cinco no currículo: 2003, 2004, 2008, 2009 e 2013; falando de MVP de Super Bowl, são dois de Eli (2007 e 2011) e um de Peyton (2007). Que família gigante!

Tudo começou com Archie Manning

Embora não tenha sido tão brilhante como os filhos Peyton e Eli, Archie Manning foi um quarterback decente na NFL. Ao todo, são 23,911 jardas, 125 TDs, 173 interceptações e 55,2% de passes completos em 151 jogos da carreira. Se levar em conta que ele atuou em uma liga completamente diferente em termos de passe, são números bem regulares.

Depois de brilhar na Universidade do Mississipi, Archie foi escolhido pelo New Orleans Saints com a segunda escolha geral do Draft de 1971. O camisa 8 foi titular de 71 a 82 – quando foi para o Houston Oilers. Em 1983 ele começou no Texas, mas acabou o ano nos Vikings. Com apenas dois jogos como titular, ele se aposentou em Minnesota em 1984.

Peyton Manning é um dos melhores de todos os tempos

Manning e Lombardi: juntos de novo após nove anos

Peyton Manning foi um dos melhores, se não o melhor, jogador que já pisou em um gramado da NFL. Faltam adjetivos quando se está falando do camisa 18: cinco vezes eleito o MVP de uma temporada e eleito a 14 Pro Bowls. Não se deixe cair na ignorância de alguns, que diminuem sua importância pelo fato de ter conquistado ‘apenas’ dois Super Bowls em quatro oportunidades. Quem entende do esporte sabe que ele é único: uma rara união de precisão, inteligência e visão de jogo.

Não é exagero dizer que Peyton Williams Manning mudou a dinâmica do futebol americano no começo do século 21. A capacidade  de ler as defesas adversárias foi absurda- nenhum QB na história conseguiu fazer ajustes antes do snap como ele. Além de notar os pontos fracos e explorá-los, Peyton tinha a capacidade única de detectar jogadas de blitz: o camisa 18 possui a menor média de sacks por snap. Ele simplesmente nasceu para ser um quarterback – muito mérito da formação de seu pai.

Se quiser conhecer mais de Peyton Manning, clique aqui e veja o nosso post especial do camisa 18 com a biografia completa desta lenda do esporte.

Eli Manning também foi gigante

Apesar de algumas críticas ao longo da carreira, é inegável que Eli Manning é um dos maiores de todos os tempos: o sétimo da história em jardas (57,023), passes para touchdown (366), partidas como titular (234) e passes completos (4.895) – além de inúmeros recordes da franquia dos Giants.

Embora Eli Manning tenha fechado a carreira com números apenas medianos em temporada regular, com 117 vitórias e 117 derrotas, ele possui um recorde invejável de 8-4 em playoffs – com atuações decisivas nos momentos mais cruciais (o famoso jogador clutch).

Para quem não se lembra, o camisa 10 foi brilhante nas pós-temporadas 2007 a 2011: em ambas ele levou o New York Giants do Wild Card para o título do Super Bowl. Por coincidência, os anéis de campeão vieram em finais contra o New England Patriots: ambas com roteiros espetaculares e com o QB sendo decisivo no fim – vencendo o prêmio de MVP.

Arch pode ser o futuro da família Manning na NFL

Com a aposentadoria de Eli, o principal candidato a carregar o nome da família na NFL é Arch Manning. Filho de Cooper Manning e sobrinho de Peyton e Eli, o garoto de 14 anos vem impressionando como QB na Newman High School e já chama atenção de Mississipi (faculdade de Archie e Eli), Tennessee (faculdade de Peyton), LSU e Duke.

O avô dele, Archie, disse que o garoto é mais completo que Eli e Peyton nessa idade. A tendência é que o camisa 16 termine o colegial em 2023. Será que vem mais um Manning por aí na NFL?

Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Comentários