De Kansas para o Super Bowl 54: conheça Katie Sowers, assistente dos 49ers e primeira mulher a treinar um time na grande final

O Super Bowl 54 será histórico! Esta é uma afirmação que pode ser feita mesmo antes da bola voar para Kansas City Chiefs e San Francisco 49ers em Miami. Agora, não estamos falando do confronto em si ou tampouco do show do intervalo, mas sim por uma presença especial na sideline. Katie Sowers, assistente ofensiva do San Francisco 49ers, vai se tornar a primeira treinadora mulher a fazer parte de um Super Bowl na história.

Sowers chegou a franquia em 2017, depois de fazer parte do grupo do Atlanta Falcons, na temporada anterior. No próximo dia 02 de fevereiro, além de alcançar um marco para a sua carreira e para a história das mulheres no futebol americano, a treinadora terá um sentimento ainda mais especial por causa do seu adversário: o Kansas City Chiefs.

>>PÁGINA ESPECIAL DO ENDZONE BRASIL COM TUDO SOBRE O SUPER BOWL 54

Katie e a relação especial com Kansas

Natural de Hesston, Kansas, a treinadora dos 49ers está conectada com o estado desde o seu nascimento. Não à toa, depois da vitória sobre os Packers no último domingo, Sowers postou um vídeo celebrando a classificação ao Super Bowl com a hashtag “#kcishome”.

No início da década, ela ingressou na WFA (Women’s Fottball League), onde defendeu West Michigan Mayhem e Kansas City Titans. O desempenho de Sowers em sua terra natal a levou ao IFAF Women’s World Champion, o Campeonato Mundial de Futebol Americano Feminino, no qual ela se sagrou campeã pelos Estados Unidos.

Ainda quando estava em Kansas CIty, Sowers optou por ser voluntária como técnica em um time feminino de basquete. Por lá, ela treinou a filha de Scott Pioli, na época General Manager dos Chiefs. Nos anos seguintes, Pioli e Sowers construíram um laço, de certa forma, improvável, visto que a NFL sempre foi conhecida por ser uma liga preconceituosa.

Depois de seu trabalho nos Chiefs, Pioli se juntou ao Atlanta Falcons em 2014 e, dois anos depois, convenceu a organização a dar uma chance para Sowers. Em 2016, ela atuou como assistente apenas no training camp da franquia, portanto, não chegou a fazer parte da comissão dos Falcons que entrou em campo no Super Bowl LI. Mas a hora dela chegaria…

Kyle Shanahan ajudou na chegada aos 49ers

Em 2017, após sofrer a histórica virada para os Patriots, Kyle Shanahan deixou o cargo de coordenador ofensivo dos Falcons e assumiu a posição de head coach dos 49ers. Sowers então foi até o ex-colega e pediu um estágio em sua equipe.

“Kyle (Shanahan) não estava contratando uma mulher apenas para fazer ponto. O legal é que eu provei em Atlanta que eu poderia realmente agregar valor ao time”, contou a treinadora sobre sua chegada aos 49ers, em uma matéria publicada pelo The Guardian no último dia 16 de janeiro.

Resgatando sua relação com Kansas, a permanência dela até hoje em San Francisco é outro capítulo que tem sua terra natal no caminho. Atuando como assistente ofensiva sazonal, ela fez parte de toda preparação dos 49ers para 2017. Logo no primeiro jogo daquela pré-temporada, curiosamente contra os Chiefs no Arrowhead Stadium, Sowers recebeu a notícia que tanto esperava.

“Era para ser o último dia do meu estágio. John Lynch, GM dos 49ers, me procurou antes do jogo e disse: ‘Queremos mantê-la em tempo integral’. Lembro que minha família estava na sideline, quando fui até eles quase chorando.”, confidenciou a treinadora, em entrevista concedida a Steven Kutz, do MarketWatch, em julho de 2019.

Treinadora faz ótimo trabalho em San Francisco

Desde então, a importância de Katie Sowers, que atua mais com os wide receivers da equipe, tem crescido nos 49ers. Em entrevista coletiva após a vitória na final da NFC, Jimmy Garoppolo fez questão de elogiar a treinadora:

“Ela tem sido extraordinária. O trabalho que ela faz com os recebedores, a forma que interage com eles, é especial. Ela é durona, é maravilhosa no campo. É divertido tê-la por perto”, afirmou o quarterback dos Niners.

Independente da vitória no Super Bowl LIV, o trabalho de Katie Sowers já é vitorioso por ajudar a romper o preconceito no esporte. Hoje, além da integração de outras mulheres a equipes, a NFL realiza anualmente o “Women’s Careers in Football Forum”, evento que promove o encontro de treinadoras e olheiras com executivos e técnicos da liga.

Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Comentários