“Montana Bowl”: Super Bowl 54 coloca frente a frente as ex-equipes da lenda Joe Montana

Joe Montana é um dos nomes mais populares da historia do futebol americano. O lendário QB é conhecido mundialmente pelos fãs da bola oval. Durante sua vitoriosa carreira, Joe se tornou ídolo nas duas equipes em que jogou: San Francisco 49ers e Kansas City Chiefs. Por esse motivo, a grande final do dia 02 de fevereiro está sendo chamada por muitos fãs de “Montana Bowl”. O próprio Montana brincou com o fato em sua conta no twitter, dizendo : “Vocês ouviram de mim primeiro. Eu GARANTO que meu time vai vencer o Super Bowl!”

>>PÁGINA ESPECIAL DO ENDZONE BRASIL COM TUDO SOBRE O SUPER BOWL 54

Joe Montana é uma lenda do esporte

Nativo da Pensilvânia, Montana iniciou sua carreira no San Francisco 49ers – onde jogou de 1979 até 1992. Porém, ele só assumiu a posição de titular no meio da temporada regular de 80. No ano seguinte, ele liderou os Niners ao primeiro título de Super Bowl da franquia e ao primeiro de sua carreira.

Ao longo dos anos 80, Montana se tornou o jogador mais popular da NFL. Suas viradas espetaculares, sua simplicidade, seu estilo de jogo e sua liderança apaixonavam os torcedores dos Niners. Mais três títulos de Super Bowl vieram durante a década (84, 88 e 89).

Uma das performances mais incríveis e “clutch” da historia da NFL foi a de Montana no Super Bowl 33 que, inclusive, foi o primeiro das cinco finais já realizadas no Hard Rock Stadium – palco do SB 54.

Perdendo por 16-13 para o Cincinnati Bengals, Montana tinha pouco mais de 3 minutos e 92 jardas para percorrer no campo. Com calma, frieza e extrema precisão, o camisa 16 lançou o passe do TD da virada, e do título, faltando 34 segundos no relógio. Curiosidade: Montana nunca perdeu um jogo de Super Bowl na vida – foram quatro visitas à final da NFL e quatro títulos. Pouco decisivo, não?

Contusões, um novo QB em San Francisco e a troca para os Chiefs

Uma grave contusão no cotovelo fez Montana perder espaço e se tornar reserva do jovem Steve Young em 1991. Em 92, a situação seguiu a mesma e Joe pediu para ser trocado. Acabava ali sua carreira nos Niners, mas ele ainda tinha muita gasolina no tanque.

Em 1993, o QB levou os Chiefs aos playoffs com a melhor campanha da historia da equipe. Na pós-temporada, mais de sua marca registrada – duas vitórias consecutivas de virada. Porém, os Chiefs caíram para o Buffalo Bills na final de conferência; Montana saiu do jogo com uma concussão no 3º quarto.

A temporada de 1994 veio a ser a última de sua carreira: com uma campanha de 9-7 em Kansas City e mais uma chance nos playoffs. Os Chiefs caíram perante ao Miami Dolphins de Dan Marino – e ali se encerrava a carreira do lendário Joe Montana.

Uma coincidência : sua última partida como profissional na NFC também aconteceu no Hard Rock Stadium (na época, Joe Robbie Stadium) – mesmo estádio da partida entre Chiefs e 49ers.

A opinião de Montana sobre o Super Bowl 54

O “Comeback Kid” vem sendo questionado pela imprensa sobre sua visão para este Super Bowl. Ele afirma que “as duas melhores equipes da liga chegaram na final, sem zebras”.

Outra colocação interessante é sobre a diferença nos estilos de jogo : “San Francisco tem um jogo forte, básico. Foco em controlar o tempo, foco no jogo terrestre e muito apoio da defesa, uma das melhores da liga. Kansas tem um ataque mais moderno, explosivo, em algum momento Patrick Mahomes vai fazer algo. Como, quando, onde, não se sabe, mas ele sempre tem algo guardado. A defesa melhorou bastante ao decorrer da temporada, mas seu ataque ainda é o ponto principal”.

Questionado sobre sua preferência, ele diz : ‘’Pergunte a Dan Marino” – se referindo ao seu rival dos anos 80 e 90, que sempre contava com ataques fortissímos, mas perdeu um Super Bowl para os Niners de Montana por 38×16. “Danny estava tendo um ano incrível, mas parou em nossa defesa. Ronnie Lott (safety dos 49ers na época) diz que aquele foi o nosso melhor ano, nosso melhor time, de todos os quatro anos que fomos campeões.”

Na hora de dar um palpite…Montana parece ficar um pouco em cima do muro “É difícil escolher. Sim, eu moro em San Francisco, é um sentimento diferente. Não tenho aquela ‘proximidade’ com Kansas a todo tempo. Mas há um espaço no meu coração para ambas equipes. Não é fácil, e há muita expectativa em cima desse jogo. Então como diz minha esposa, quem quer que ganhe, minha vitoria é garantida!”, brincou o ex-quarterback.

Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Comentários