Análise tática: entenda como Mahomes coverteu a 3º para 15 vital no título do Super Bowl 54

Embora algumas chamadas bem criativas do Kansas City Chiefs chamaram atenção no Super Bowl 54, uma delas pode ser considerada a mais importante na virada do último período: Patrick Mahomes converteu uma complicada 3º para 15 jardas que manteve o sonho do título ainda vivo. Se aquele passe não tivesse sido completado, possivelmente os 49ers estariam comemorando o título neste momento. Afinal, o que faz desta jogada algo tão espetacular?

Antes de se aprofundar na tática, vamos ao contexto em que ela é inserida. A situação era desesperadora para os Chiefs: o time perdia por 10 pontos, com apenas 7:13 no relógio, e tinha que converter uma terceira descida para 15 jardas, ainda no campo de defesa, para se manter vivo na partida.

Eis que Patrick Mahomes, na eminência de sofrer o sack, lançou uma bomba de 44 jardas e encontrou Tyreek Hill no meio da secundária de San Francisco. A conversão foi a ‘faísca’ psicológica que os Chiefs precisavam para arquitetarem a grande virada. Veja com mais detalhes como a jogada foi desenhada:

Este foi o desenho da jogada chamada por Andy Reid. Embora Damien Williams esteja no backfield, o fato de ser uma terceira para 15 faz desta uma formação óbvia de passe. Como os dois tight ends estão posicionados nas pontas da linha, a tendência é um passe alto pelo meio – logo após a marca do first down. Ao lado de Travis Kelce está Tyreek Hill, jogador mais veloz da equipe, que foi para uma rota post-corner que deu muito certo.

Repare na formação defensiva de San Francisco: os quatro jogadores no pass-rush, os linebackers Fred Warner e Dre Greenlaw guardando o meio do campo, o cornerback Emmanuel Moseley alinhado com Sammy Watkins na ponta direita, Richard Sherman guardando o lado direito, o safety Jaquiski Tartt claramente guardando a linha de first down e Jimmie Ward mais recuado – o único realmente focado em um passe mais longo.

Eis o grande ponto: o nickel K’Waun Williams está alinhado com Tyreek Hill e parece que fará uma marcação individual, mas ele não fica com o WR durante toda a jogada.


Quando o snap é feito, veja como a jogada se desenvolve. Como Travis Kelce, a escolha mais óbvia neste contexto, corre em direção ao meio do campo, isso chama atenção tanto de Fred Warner como do strong safety Tartt. Mesmo mais recuado, o CB Moseley segue de olho em Watkins. Agora, o nickel Williams, ao invés de acompanhar Hill, breca próximo à linha do first down – esperando uma conexão com Watkins no lado esquerdo. Isso faz com que o camisa 10 dos Chiefs corra livre, leve e solto em sua rota post (por enquanto).


Olhando um pouco mais adiante, repare como toda a preocupação da defesa de San Francisco está em guardar a linha do first down – especialmente quando fica claro que o passe deve ser em direção a algum atleta do lado esquerdo do campo.


Eis o ‘golpe final’ realizado por Tyreek Hill. Ao invés de continuar na rota post, o camisa 10 aproveita que o cornerback está mais avançado e faz um corte para a rota corner logo depois de cruzar a linha de 40 jardas. O movimento é suficiente para tirar o safety Ward da jogada e dar o espaço necessário para receber o passe longo.


Repare no espaço gigantesco que há entre Hill e os dois defensores de San Francisco. Tanto que o wide receiver tem tempo de parar, estacionar próximo da linha de 25 jardas e receber a bomba lançada por Mahomes – milésimos de segundos antes de sofrer a pancada de DeForest Buckner.


Embora a jogada tenha sido muito bem desenhada, de nada iria adiantar se Mahomes não tivesse tempo suficiente para lançar o passe. Veja como o pass-rush dos 49ers executou uma jogada bem criativa – colocando os dois defensive ends para se cruzarem e complicarem a vida da linha de Kansas City.

Os talentosos Nick Bosa e DeForest Buckner fazem o chamado ‘twist stunt’, ou seja, eles se cruzam para confundir a proteção da linha ofensiva e abrir um espaço para o segundo jogador cortar pela lateral.


Repare como a movimentação é muito bem desenhada e extremamente efetiva. Embora Bosa continue sendo contido pelo LT Eric Fisher, o fato do DE cruzar faz com que ele seja uma espécie de ‘escudo’ para que Buckner consiga separação do guard Steven Wisniewski e chegue em Mahomes.


Aqui mais uma vez vale ressaltar a resiliência e a atitude de Patrick Mahomes. Mesmo com a pancada eminente, ele permaneceu firme dentro do pocket e conseguiu soltar uma bomba de 44 jardas milésimos de segundos antes de levar a pancada de Buckner.

Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Comentários