Análise do Draft 2020 na NFC East: notas do desempenho de Cowboys, Eagles, Giants e Redskins

Após muita expectativa, o Draft 2020 já entrou para os livros de história da NFL. Muitos times conseguiram fazer trabalhos excelentes e realmente reforçaram seus elencos para os próximos anos. Já outros fizeram escolhas, digamos, bem questionáveis. Quem se deu bem? Quem se seu mal? Chegou o dia de analisar o trabalho dos times da NFC East no Draft 2020: Dallas Cowboys, New York Giants, Philadelphia Eagles e Washington Redskins.

Lembrando que a nota final do Draft das equipes é uma média da nota de todos os redatores do Endzone Brasil e vai de zero a dez. Vamos lá?

DALLAS COWBOYS

1ª rodada (17): WR CeeDee Lamb, Oklahoma
2ª rodada (51): CB Trevon Diggs, Alabama
3ª rodada (82): DI Neville Gallimore, Oklahoma
4ª rodada (123): CB Reggie Robinson, Tulsa
4ª rodada (146): C Tyler Biadasz, Wisconsin
5ª rodada (179): Edge Bradlee Anae, Utah
7ª rodada (231): QB Ben DiNucci, James Madison

O Dallas Cowboys foi uma das grandes estrelas do Draft 2020. Bastante criticado nos últimos anos, o chefão Jerry Jones fez um grande trabalho fazendo as escolhas em sua casa. Para começar, o time permaneceu em 17º e conseguiu, possivelmente, o melhor WR do Draft – sonho do rival Eagles algumas posições seguintes. Dallas também tomou a posição do rival na quarta rodada e buscou o substituto do aposentado Travis Frederick.

Os Cowboys também fizeram talvez o maior steal da segunda rodada trazendo Diggs com a 51ª escolha – jogador que eles estavam considerando até na primeira rodada. O atleta chega em uma posição bem carente após a saída de Byron Jones. Reggie Robinson também deve contribuir na secundária. Grande trabalho da equipe reforçando seu elenco.

Nota dos redatores do Endzone Brasil: 9


NEW YORK GIANTS

1ª rodada (4): T Andrew Thomas, Georgia
2ª rodada (36): S Xavier McKinney, Alabama
3ª rodada (99): T Matt Peart, Connecticut
4ª rodada (110): CB Darnay Holmes, UCLA
5ª rodada (150): IOL Shane Lemieux, Oregon
6ª rodada (183): LB Cam Brown, Penn State
7ª rodada (218): Edge Carter Coughlin, Minnesota
7ª rodada (238): LB TJ Brunson, South Carolina
7ª rodada (247): CB Chris Williamson, Minnesota
7ª rodada (255): LB Tae Crowder, Georgia

Como era esperado, o New York Giants focou quase exclusivamente em trazer reforços na linha ofensiva e na defesa – especialmente a secundária. O time foi um dos piores da NFL em 2019 protegendo seu QB – certamente Daniel Jones será mais protegido com três bons prospectos. Embora seja questionável que Thomas era o melhor prospecto de linha ofensiva, é bastante promissor. Matt Peart pode substituir Nate Solder daqui há algum tempo e Lemieux pode contribuir daqui há algum tempo.

Uma das piores secundárias da liga também deve melhorar com as chegadas de Xavier McKinney e Darnay Holmes. McKinney era considerado o melhor safety do Draft, portanto, pegá-lo na segunda rodada pode ser considerado um steal. O que pode se questionar são as ausências de um pass-rusher de impacto e um wide receiver para complementar um grupo que deixa a desejar.

Nota dos redatores do Endzone Brasil: 7,3


PHILADELPHIA EAGLES

1ª rodada (21): WR Jalen Reagor, TCU
2ª rodada (53): QB Jalen Hurts, Oklahoma
3ª rodada (103): LB Davion Taylor, Colorado
4ª rodada (127): CB K’Von Wallace, Clemson
4ª rodada (145): OT Jack Driscoll, Auburn
5ª rodada (168): WR John Hightower, Boise State
6ª rodada (196): LB Shaun Bradley, Temple
6ª rodada (200): WR Quez Watkins, Southern Mississippi
6ª rodada (210): OT Prince Tega Wanogho, Auburn
7ª rodada (233): Edge Casey Toohill, Stanford

Apesar do Philadelphia Eagles ter feito escolhas interessantes a partir da terceira rodada, o que Howie Roseman fez com duas primeiras escolhas foi algo que pode e deve ser questionado. Claro que é impossível classificar as decisões como erradas, isto apenas o futuro dirá, mas é algo que deixou muitos fãs da franquia coçando a cabeça.

Para começar, os Eagles não esconderam de ninguém que o seu maior foco na primeira rodada seria buscar o wide receiver de qualidade que tanto faltou em 2019. A franquia sabia que seria muito difícil buscar um dos três melhores prospectos na escolha 21. Acontece que CeeDee Lamb, possivelmente o melhor de todos, começou a cair algumas posições. O time deveria ter subido para a 16ª para buscar Lamb antes do rival Dallas Cowboys, mas não conseguiu uma troca por não querer abrir mão da escolha 53. Não que Jalen Reagor seja ruim, mas ele provavelmente estaria disponível na segunda rodada.

O que se esperava era de que os Eagles fossem utilizar a escolha de segunda rodada em um jogador de impacto e que pudesse contribuir logo de cara na defesa, certo? Eis que o time reforça uma das únicas posições com um titular absoluto: quarterback. Além de não ser o QB mais talentoso disponível na mesa, Hurts era projetado para sair entre as rodadas 3 e 4.

Depois de negociar Nick Foles e dizer aos quatro ventos que Carson Wentz era o futuro da franquia na próxima década, os Eagles trazem um quarterback na segunda rodada. Que contradição! Claro que o time precisava de um bom reserva, pelo histórico de lesões de Wentz, mas Hurts ainda é muito cru e dificilmente fará um bom trabalho caso pise em campo em 2020. Mesmo que seja uma espécie de “Taysom Hill” dos Eagles, não vale a pena.

Nota dos redatores do Endzone Brasil: 2,8

WASHINGTON REDSKINS

1ª rodada (2): EDGE Chase Young, Ohio State
3ª rodada (66): RB Antonio Gibson, Memphis
4ª rodada (108): OT Saahdiq Charles, LSU
4ª rodada (142): WR Antonio Gandy-Golden, Liberty
5ª rodada (156): IOL Keith Ismael, San Diego State
5ª rodada (162): LB Khaleke Hudson, Michigan
7ª rodada (216): S Kamren Curl, Arkansas
7ª rodada (229): Edge James Smith-Williams, NC State

Embora os Redskins não estivessem precisando desesperadamente de pass-rushers, Chase Young era o melhor jogador de toda a classe, portanto, era quase uma obrigação selecioná-lo. Após a primeira rodada, era óbvio que o time reforçaria o ataque: foram quatro jogadores consecutivos. Saahdiq Charles foi uma boa escolha que pode assumir o posto de Trent Williams no futuro.

O único questionamento em relação ao Draft de Washington foi como a franquia ignorou a secundária até a sétima rodada, afinal, trata-se do time que mais cedeu jardas aéreas em 2019. Apesar disso, foi um trabalho decente no geral.

Nota dos redatores do Endzone Brasil: 6,5

Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Comentários