Os cinco melhores wide receivers do Draft 2020

Apesar da grave pandemia que o mundo está passando, o Draft 2020 da NFL não foi cancelado e vai acontecer entre os dias 23 e 25 de abril. Agora, ao invés de um luxuoso evento em Las Vegas, o Draft será realizado de forma virtual – com o chefão Roger Goodell anunciando as escolhas no porão da casa dele. Quais os principais prospectos da classe de 2020? Ao longo dos próximos dias o Endzone Brasil vai listar os nomes mais cotados! Hoje é dia de falar dos melhores wide receivers do evento:

>>TUDO QUE PRECISA SABER DO DRAFT 2020

1 – WR Jerry Jeudy, Alabama

(Photo by Harry How/Getty Images)

Com técnica apurada, agilidade, visão, velocidade, Jeudy é um dos wide receivers mais prontos e bem polidos da historia recente do College. Vem para ser titular em qualquer equipe que o selecione.

Sua naturalidade na posição, seu jeito “elétrico”, o poder de enganar marcações e driblar defensores, fazem de Jeudy extremamente completo em todas as fases do jogo aéreo.

Talvez seu único ponto fraco seja alguns drops “bobos”, por pura falta de atenção. Algo que pode e deve ser treinado por quem o selecionar. Tem “sangue nos olhos”, é um verdadeiro competidor, tem potencial para estar no topo de sua posição por muito tempo na NFL.

2 – CeeDee Lamb, Oklahoma

Muito próximo do nível de Jeudy, tem ótimas mãos, atleticismo, capacidade de ajuste e visão. Sabe posicionar muito bem o seu corpo, de forma que atrapalha seus defensores e ajuda seus QBs.

Utiliza de seu físico para bater facilmente marcações “pressão” e tem um senso natural de posicionamento, técnica e ótimo equilíbrio.

Talvez seu ponto fraco seja sua velocidade. Não que seja um cara lento, de forma alguma, mas talvez ele não tenha aquela “próxima marcha” para bater cornerbacks que jogam mais distantes. Precisa também refinar seus “double-moves” para enganar melhor a marcação.

3 – Henry Ruggs III, Alabama

Mais um excelente recebedor de Alabama aqui. A velocidade absurda é seu “cartão de visitas”. Correu para 4,27s no 40-yard dash do Combine. Extremamente ágil, corre rotas “deceptivas”, engana facilmente a marcação com seus movimentos.

Embora não seja muito grande e forte, se dedica totalmente aos bloqueios e a ajudar a equipe de todas as formas possíveis. Pode ajudar muito também em jogadas de end-around, surpreendendo a defesa com sua velocidade.

Possui braços curtos e não possui grande raio de alcance. Muitos passes precisam ser exatamente no seu colo para que consiga receber. Sofre um pouco com marcadores físicos e com contato. Precisa aprender a quebrar tackles e usar sua agilidade de forma mais eficaz quando possui a bola em suas mãos.

4 – Brandon Aiyuk, Arizona State

Criativo depois de suas recepções, ágil, deceptivo. Pode abrir espaços na defesa com sua velocidade e verticalidade, ajudando o jogo aéreo de múltiplas formas. Tem aquela “próxima marcha” que deixa a defesa completamente perdida atrás dele.

Ótimo retornador também, um atleta extremamente dinâmico e “escorregadio”, muito difícil de ser tackleado, dribla seus marcadores de forma natural e fluída. Força o contato físico as vezes e surpreende seus defensores, parecendo um running back à moda antiga, um tratorzinho.

Precisa aprender a se livrar da marcação pressão, melhorar suas mãos, ainda sofre com alguns drops. Também precisa melhorar seus sensos e visão de jogo para ajudar seu QB em passes com “janela reduzida”. Sofre para receber com um marcador colado em seu corpo.

5 – Justin Jefferson, LSU

Teve ótimo combine e tirou algumas dúvidas sobre seu desempenho atlético. É um recebedor de posse. Ótimas mãos, aquele cara que sempre vai estar lá para salvar seu QB.

Embora tenha técnica suave e refinada, é capaz de realizar recepções extremamente acrobáticas, muito devido à sua técnica perfeita de recepção. Sabe usar sua altura e seus longos braços para vencer defensive backs físicos.

Sofre com rotas muito longas, se perdendo um pouco e perdendo seu próprio ritmo. Quando precisa realizar cortes em rotas profundas, telegrafa seu movimento. Precisa aplicar a sutileza e técnica que tem em tantos outros movimentos, nesses aspectos fundamentais do jogo, se quiser ser um WR completo. Atualmente, se projeta muito mais como um slot receiver.

Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Comentários