Lendas da NFL: a biografia de Ed Reed

(Reprodução/ Ravens)

Poucos jogadores na historia da NFL conseguem impor tanto respeito e medo nos maiores quarterbacks da liga. Edward Earl Reed Jr, com certeza, é um desses caras. Um líder de vestiário, um safety extraordinário, duro, atlético, com características especiais e um absurdo “radar” que parecia atrai a bola em sua direção. Se um dia você ouvir o termo “ball hawk” e tiver dificuldades para entendê-lo, pense no jogo de Ed Reed. Um “gavião” no centro do campo defensivo, realizando leituras perfeitas e interceptações inacreditáveis.

Pergunte para Tom Brady ou Peyton Manning quem era o jogador de defesa mais temido por eles durante as décadas passadas. Reed tinha a capacidade de influenciar esquemas ofensivos, de ler a mente do quarterback mais inteligente da NFL, parecia sempre estar dois passos a frente de qualquer outra pessoa em campo.

Ao longo de sua carreira Reed foi eleito 9 vezes para o Pro Bowl. Por cinco vezes, foi um All-Pro de primeiro time, e em outras três, de segundo time. Ele foi eleito o jogador defensivo da NFL na temporada 2004. Liderou a liga em interceptações em três anos diferentes. É um membro da “equipe da década 2000” da NFL e também na equipe ‘comemorativa’ dos 100 anos de liga. Em 2019, foi eleito para o Pro Football Hall of Fame, o maior reconhecimento individual possível para um atleta.

O início de um grande atleta

Nascido em St. Rosa, Louisiana, no dia 11 de setembro de 1978, Reed parecia destinado a tornar-se um grande atleta. Desde jovem sempre demonstrou grande atleticismo e uma paixão por esportes.

No ensino médio, Reed foi selecionado para o time “All-State” da Louisiana, na posição de defensive back. Uma máquina de tackles e de fumbles, ele, como muitos atletas no colégio, atuava em outras posições também. Além de defensor, Ed jogava como running back, quarterback em algumas formações, e era o retornador de punts e kickoffs oficial de sua equipe.

Ele também era um competidor de alto nível no atletismo. Competia nas corridas de 100 metros, salto triplo, salto em distância e no lançamento de dardo, chegando a quebrar recordes de seu colégio na época. Reed também jogava basquete e beisebol nos seus tempos de high school.

Destaque na Universidade de Miami

(Reprodução/ Ravens)

Reed recebeu uma bolsa atlética para estudar e atuar pela Universidade de Miami em 1997. Seu primeiro ano foi como “redshirt”. Ele apenas focou em seus estudos e treinamentos em campo, porém não participou de jogos.

A partir de 1998, ele se tornou peça chave da defesa dos Hurricanes. Titular desde seu primeiro jogo, forçou 4 turnovers em sua primeira temporada. No ano seguinte, foram apenas 2 interceptações.

Em 2000, seu grande ano de destaque na faculdade aconteceu. Foram 8 interceptações e honras de primeiro time “All-American” (uma honra aos melhores atletas de faculdade da nação).

2001 foi seu último ano de college e, Reed, de alguma forma, conseguiu superar a performance do ano anterior. Com 9 interceptações, ele se consolidou como melhor safety do país e foi eleito All-American de forma unânime, uma das maiores honras possíveis na faculdade. A NFL era o próximo passo e uma seleção na primeira rodada do draft lhe aguardava.

Primeiros passos no Baltimore Ravens

Selecionado com a 24ª escolha geral no draft de 2002 pelo Baltimore Ravens, Reed começava sua jornada de domínio e liderança em uma das defesas mais fortes da liga. Titular desde o primeiro dia, ele logo se tornou peça vital da forte defesa dos Ravens.

Em seu ano de novato, foram 85 tackles, 5 interceptações, 12 passes defendidos, um sack e uma recuperação de fumble. Suas características e instintos se tornavam cada vez mais aparentes. O camisa 20 liderou sua equipe em interceptações e passou a, logo cedo em sua carreira, causar medo nos quarterbacks adversários.

Jogador defensivo do ano

Apenas no terceiro ano de sua carreira, Reed foi escolhido como melhor defensor da liga. Aterrorizando quarterbacks com seus sensos insanos de cobertura, ele teve nove interceptações na temporada e quebrou o recorde de jardas retornadas através de interceptações, com 358 jardas.

Talvez a grande marca dele nesta temporada aconteceu em um jogo em novembro, contra o Cleveland Browns. Uma interceptação em sua própria endzone, retornada para 106 jardas e um touchdown, que selou a importante vitoria de Baltimore naquela noite.

Cada vez mais, o camisa 20 se tornava um líder e uma presença intimidadora para seus adversários.

Domínio, sete Pro Bowls consecutivos e Super Bowl

(Reprodução/ Ravens)

Ao longo dos anos 2000, Reed definitivamente foi se consolidando como melhor safety da NFL. Selecionado sete temporadas seguidas para o Pro Bowl (entre 2006 e 2012), ele, ao lado do linebacker Ray Lewis, formava uma das duplas defensivas mais fortes da liga. Lewis tomava conta do “front-seven” e Reed, cuidava do resto do campo.

Neste período, liderados por essa forte defesa, os Ravens conquistaram por quatro vezes o título de divisão da AFC North. Chegaram a final da AFC três vezes e, finalmente, em 2012, no último ano de Reed com a equipe de Baltimore, eles venceram o Super Bowl XLVII, contra o San Francisco 49ers.

No grande jogo final contra os Niners, Ed Reed deixou sua marca. Foram cinco tackles, um passe defendido e uma interceptação em um passe de Colin Kaepernick, no começo do segundo quarto.

O último ano

No começo de 2013, em meio à diversas especulações sobre seu futuro, Ed Reed afirmou que não pretendia se aposentar. Ele chegou a pensar neste caminho, mas sentia que ainda podia jogar em alto nível. Um agente livre após a conquista do Super Bowl, Reed assinou com o Houston Texans um contrato de 3 anos pelo valor total de US$ 15 milhões.

Após passar por uma artroscopia antes do início da temporada, Reed finalmente entrou em campo pelos Texans no final de setembro. Com um rendimento abaixo da média e a competição de Shiloh Keo na equipe, Ed foi cortado em novembro.

Sua última equipe foi o New York Jets. Ali, Reed voltaria a atuar para o treinador Rex Ryan, que havia sido seu coordenador ofensivo por muitos anos no Baltimore Ravens. Em Nova Iorque, ele viu seu desempenho melhorar novamente e pode ter um final digno de carreira.

Teve três interceptações, duas nas semanas finais de temporada, ajudando a equipe a selar importantes vitórias para encerrar a temporada com um retrospecto de 8-8.

Aposentadoria

Após passar toda a temporada de 2014 afastado do esporte, Reed anunciou finalmente sua aposentadoria em 6 de maio de 2015. Ele assinou um contrato de um dia com os Ravens, para se aposentar oficialmente como membro da equipe que marcou sua carreira.

Foi eleito para o Hall da Fama do futebol americano no dia 2 de fevereiro de 2019. Reconhecido até os dias de hoje como um dos atletas mais dinâmicos da liga, tem todo o carinho de grandes mentes da NFL, como por exemplo Bill Belichick, que sempre afirma que “Reed é provavelmente o maior safety que eu já vi jogar. Era um inferno para mim e para Tom Brady planejar o esquema de jogo para tentar evitar ele no campo”.

Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Comentários