Legion Of Boom 2.0, versatilidade e pass-rush como incógnita: Jamal Adams nos Seahawks

Montagem de Jamal Adams com o uniforme do Seattle Seahawks (Reprodução; Seattle Seahawks)
Montagem de Jamal Adams com o uniforme do Seattle Seahawks (Reprodução; Seattle Seahawks)

Uma das maiores novelas desta offseason chegou ao fim no último domingo. Depois de muitas rusgas e troca de farpas com o técnico Adam Gase, o safety Jamal Adams deixou o New York Jets e rumou para o Seattle Seahawks. A transação contou ativos valiosos e gerou dúvidas acerca de seu custo-benefício.

Seattle enviou duas escolhas de primeira rodada de 2021 e 2022, outra da terceira rodada de 2021 e o safety Bradley McDougald. Além de Adams, a franquia de Washington também recebeu uma pick da quarta rodada 2022. Se os Jets se livraram de um problema, os Seahawks adicionaram um grande jogador, mas também a pressão de fazer o plano “Legion Of Boom 2.0” dar certo.

Veja também:

This image has an empty alt attribute; its file name is OS_BRAZIL_300x300_2020_Q3_NFL.jpg

Valores e custo-benefício

Jamal Adams usou o twitter para enviar uma mensagem aos torcedores do Seattle Seahawks

A primeira questão ao analisar a troca é observar o seu valor. Jamal Adams é discutivelmente o melhor safety da NFL na atualidade, mas essa posição nem de longe está entre as mais valiosas da liga. Segundo um levantamento feito pela ESPN, os safeties estão apenas no quarto “pote” no ranking de valorização x posição.

Ainda no fator monetário, está a futura extensão de Adams, que provavelmente buscará se tornar o jogador mais bem pago de sua posição. Se Seattle se negou a pagar algo na casa dos US$ 20 mi para renovar com Jadeveon Clowney, precisará pensar bem para conseguir negociar renovação de seu novo jogador.

Muito mais que um Safety

Como foi dito, safety não está entre as funções mais apreciadas na NFL. Mas ao adquirir Jamal Adams, Seattle não está adicionado somente o melhor jogador de sua posição na liga. Segundo Mina Kimes, analista da ESPN, desde que chegou da universidade, Adams foi utilizado mais vezes como LB ou DL do que propriamente SS.

O Blog do Seahawks Brasil analisou a troca e levantou dados que ilustram o impacto de Adams na defesa como um todo. Observando quatro tipos de alinhamento (safety, slot, linebacker e edge), sempre que Adams alinhou no setor mais exigido da jogada, aquela unidade dos Jets foi mais eficiente.

Em situações de passe, quando Adams funcionou como safety ou no slot, os Jets cederam 5,7 e 6,7 jardas por recepção, respectivamente. Sem o jogador na secundária, o número aumenta para 7,8 (linebacker) e 9,5 (edge). O percentual de passes completos também segue a mesma tendência.

Este cenário se mantém nas outras áreas da defesa. No combate ao jogo terrestre, quando Adams atuou como linebacker, os Jets cederam 1,9 jardas por carregada, contra 3,4 de quando ele alinhou como safety, segunda melhor marca. No pass-rush, a taxa de pressão bate 46,8% quando Adams funcionou como edge, 12,6% a mais do que quando ele jogou como LB.

Legion Of Boom 2.0

A Legion Of Boom marcou época no Seattle Seahawks e na NFL
A Legion Of Boom marcou época no Seattle Seahawks e na NFL

Mesmo se considerarmos Jamal Adams apenas como um safety, dá para dizer que essa posição tem um valor diferente em Seattle. Se hoje Russell Wilson é a grande estrela da companhia, não era bem assim no começo da década. A marca registrada da ascensão dos Seahawks foi a lendária Legion Of Boom, algo que Pete Carroll tenta reviver neste seus últimos anos de contrato – o vínculo se encerra após a temporada 2021.

Ao seu lado, Jamal Adams terá a companhia de Quandre Diggs, safety que chegou aos Seahawks no meio da temporada 2019 e causou um impacto imediato na secundária da equipe. Comparações são cruéis, não dá para dizer que Adams + Diggs repetirão o sucesso de Earl Thomas + Kam Chancellor. Mas se em algum lugar isso pode acontecer, é em Seattle.

Escolha da terceira rodada do Draft de 2017, Shaquill Griffin vem evoluindo a cada temporada e já se tornou uma peça fundamental para o time. Uma potente dupla de safeties ao seu lado pode ser o que faltava para ele alcançar o patamar dos melhores cornerbacks da liga, como aconteceu com Richard Sherman no passado.

Claro que o outro lado também precisa ser analisado e é justamente ele que pode ser mais vulnerável. Quinton Dunbar jogava pela esquerda em Washington, lugar que Griffin ocupa em Seattle. Mas antes que seja possível pensar em um ajuste para comportar os dois, a NFL suspendeu Dunbar nesta segunda-feira por conta de uma série de crimes pelo qual o atleta está sendo acusado. Sem o jogador, Tre Flowers deve seguir como titular e sua irregularidade pode ser um problema para o funcionamento desta nova secundária.

Negociação de alto risco

A movimentação de Seattle está longe de ser unanimidade para os analistas mundo afora. Um dos argumentos para corroborar a negociação é o que franquia vem de Drafts decepcionantes nos últimos anos, principalmente se tratando de escolhas de primeira rodada. Claro que um erro não pode justificar o outro, mas uma vez que esta falha ficou clara, se torna menos impactante abrir mão de escolhas altas por um grande jogador.

Porém, há sim um ponto que definitivamente joga contra a troca. Embora a versatilidade de Jamal Adams tenha sido mencionada aqui, ele não chega para resolver o problema que a equipe tem no pass-rush.

O Seattle Seahawks anunciou a contratação de Jamal Adams em seu twitter

Em 2019, Seattle foi apenas o 16º time na eficiência do quesito (43%) e o quarto pior em sacks (28). Isso tudo com Jadeveon Clowney no time, algo que não irá se repetir na próxima temporada, pois o jogador não renovou seu vínculo com a franquia. Os Seahawks precisam resolver esse problema.      

Uma alternativa, porém, é que Seattle trabalhe mais o blitz, algo pouco utilizado no último ano. Neste caso, Jamal Adams volta a aparecer como peça fundamental, já que ele foi considerado pelo PFF (Pro Football Focus) como melhor safety da NFL nessa situação.

Veredito

É inegável que o pacote enviado por Jamal Adams envolve ativos poderosos e difíceis de se abrir mão. Em uma troca dessa, se o jogador não entregar, o futuro a médio prazo da equipe pode ficar comprometido. Seattle sabia desse cenário e mesmo assim resolveu arriscar. Neste momento, a opinião é de que os Seahawks acertaram.

O sucesso desta troca não passa apenas por se Adams conseguirá demonstrar seu talento em Seattle, mas sim como ele usará sua versatilidade para mudar a defesa por completo. Se Jamal Adams conseguir impulsionar o seu desempenho e o de seus companheiros, algo bem possível, então Seattle estará no caminho para voltar a ter uma das melhores defesas da NFL e, consequentemente, mais próximo de retornar ao Super Bowl.  

Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Comentários