Lendas da NFL: a biografia de Calvin Johnson

O personagem do “Lendas da NFL” de hoje é considerado uma lenda nas trincheiras na NFL – mesmo não tendo conquistado um anel sequer. Sim, senhores, Calvin Johnson, vulgo ‘Megatron’, do Detroit Lions, aterrorizou defesas em sua passagem na liga – de 2007 a 2015. A biografia dele não nega: um monstro!

Conhecido pelo apelido de ‘Megatron’, ele colocou na mesa números incríveis defendendo o Detroit Lions e certamente se fixou como um dos maiores WR de todos os tempos da liga. Deste século, o melhor!

O camisa 81 recebeu essa alcunha devido a forma dele de jogar pela sua envergadura e altura. O personagem é oriundo da saga “Transformers”, pois se impunha diante dos safety, cornerback e defensive back, que tentasse detê-lo durante uma arrancada! Seguuuuuuura…. PEÃOOOOOOO!

Durante seu tempo de Liga, Johnson, levou muitos prêmios para casa, mesmo não teve muito sucesso nas pós-temporada, pois os Lions pouco chegavam aos playoffs. Ao todo, foi seis vezes selecionado para o Pro-Bowl. Além disso, apareceu outras três vezes no All-Pro do primeiro time e uma vez para o segundo time. De forma consecutiva, liderou a NFL em jardas recebidas e recepções em 2011 e 2012.

UMA ESTRELA SURGE!

Assim na nascia na cidade de Newnan, no Estado da Georgia, em 29 de setembro de 1985, Calvin Johnson Jr. O município com pouco mais de 41 mil habitantes, segundo último censo americano, realizado em 2019.  A carreira esportista consagrada no futebol americano, tanto na NFL quanto no NCAA (Futebol Americano Universitário), poderia ter sido diferente. EITA! Isso porque durante o ‘High School’ pela escola de Sandy Creek, seu feitio e desempenho foram fortes atraentes para o beisebol. Mas, o talento acabou virando às costas para uma possível carreira na MLB (Liga Profissional de Beisebol), antes da universidade. 

O tamanho do Calvin Johnson já impressionava no Ensino Médio. Seu 1,89cm causava um impacto diante dos rivais que não conseguiam pará-lo e atraia a atenção do College estadunidense inteiro. Suas estatísticas o levaram como o 4º melhor wide receiver prospecto de 2004. Além de ocupar o lugar 37 no ranking geral que tinham 100 nomes.  

Desde essa época, já levava o número 81 nas costas. Durante sua passagem pelo Patriots, NÃO àquele, nos três anos de titulares foram 74 recepções, 1.382 jardas ganhas e 18 touchdowns. É…. amigos! BAITA JOGADOR!

CALVIN JOHNSON É REFERÊNCIA EM GEORGIA TECH

NUNCA MAIS FOI IGUAL! Isso define o que foi a passagem de Megatron pela Universidade de Georgia Tech. Mesmo com o assédio de outros estados americanos, optou em janeiro de 2004 anunciar que continuaria na sua região. E o Yellow Jackets agradeceu e muito essa escolha de Calvin Johnson – mesmo com o mercado inflacionado a seu favor.

Durante três temporadas, o 21 de Tech deu show! Foram inúmeras recepções, corridas e TDs para ficarem marcados na história! Depois de uma estreia boa, uma marcante vitória contra um rival clássico universitário, Clemson, por 28-24, com TRÊS touchdowns em 127 jardas percorridas nas trincheiras dos mandantes com direito a pontuação de virada faltando 12 segundos para o fim! ÉPICO! A vida caloura terminou com um título fácil diante de Syracuse por 51 a 14, pelo Sports Bowl.

As demais temporadas foram repletas de marcas expressivas que por consequências alçaram recordes pessoais alinhadas com a Universidade de Georgia Tech. Na sua última, antes de testar draft para virar profissional, Megatron correu 1.202 jardas em 78 recepções e 15 TDs, em 2006, foi a maior marca individual de um atleta, do Yellow Jackets, em uma única temporada! Mamãe… 

Tais marcas trouxeram a marca de melhor atleta de todos os tempos do College. Mais recepções, jardas e jogos com mais de 100 jardas por partida. Seu último ano também garantiu dois prêmios históricos no programa. Primeiramente, de melhor jogador universitário e o melhor wide receiver do país, que tem a denominação de Fred Biletnikoff Award.

LEIA MAIS: Lendas da NFL: a biografia de Tony Gonzalez

CHEGOU PRA FICAR! DETROIT LIONS CIRÚRGICO 

Pelo lastro conquistado no College, já era o prospecto mais bem cotado diante das casas de apostas e analistas americanos. Mesmo que seu peso não agradasse no momento, pois estava 4Kg acima da média para a posição, mesmo com 1,95cm. Porém, as críticas foram silenciadas no talento…QUE HOMEM! Calvin Johnson fez 40 jardas em pouco mais de 4 segundos juntamente a sua verticalidade de 3,53m e deixou a todos boquiaberto por tamanha agilidade, no cartão de visitas à NFL.

O Detroit Lions o selecionou como sua 2ª escolha no geral de 2007. A partir dali, o legado entre os WRs seria reescrito por Megatron. Por conta disso, um novo suspiro de alçar vôos maiores da franquia na NFL estava de novo renovado com essa aquisição. O calouro em 10 partidas como titular anotou quatro TDs, em 756 jardas percorridas em 48 recepções. Em média, avançando pouco mais de seis jardas a cada bola na mão. CONFIÁVEL! 

`MISTER`RECEPÇÃO DA NFL

Em duelos marcantes contra um dos rivais de divisão na NFl, o Dallas Cowboys

Entretanto, para o azar o dele, em 2008, sua temporada excepcional foi acobertada pela patética atuação dos Lions na liga. Terminou com um 0-16, a pior campanha da história de um time, desde 1982. Individualmente correu 1.331 jardas com 78 recepções com 12 touchdowns, e assim liderando diversas estatísticas da NFL.

Até 2012 Calvin Johnson alternava campanhas boas ou excelentes individualmente. Como de costume, o Detroit Lions, como equipe, não seguia seu nível. Mas, este ano, foi IMPECÁVEL! Terminou com 1964 jardas aéreas ganhas em 122 recepções, e com média de 120 jardas percorridas por jogo, na temporada regular! A marca atingida quebrou o recorde anterior da lenda Jerry Rice que era 1.848. SENSACIONAL! 

Dois anos depois, outra marca incrível atingida: o jogador mais novo da NFL a chegar a 10.000 jardas em recepção. Isso tudo com apenas 115 partidas na liga, a maioria, sem atuar em playoffs. Triste…

O wide receiver mudou sua camisa durante sua estadia em Detroit, para a camisa 81, que, era sua vestimenta em tempos de Ensino Médio. Todavia, os torcedores dos Lions, e o fã de NFL, sempre perceberam como o Calvin Johnson, fazia coisas acima do normal. Olha… foram seis eleições seguidas para o Pro Bowl, entre 2010-2016, mesmo com sua franquia tendo campanhas abaixo do seu nível individual de competitividade. Além disso, passou por três vezes eleito ao time ideal da liga e uma para o time reserva.

NFL SE DESPEDE DE CALVIN JOHNSON

O ano de 2015, o último de Megatron na liga, é marcado por quebra de recordes na história do Detroit Lions e da NFL. As marcas estão relacionadas as jardas aéreas, recebidas, TDs anotados e média percorrida a cada bola segurada para correr em direção a endzone adversária. Precisamente na temporada derradeira, foram 88 recepções para correr 1.214 jardas e média de 13,4 percorridas e nove TDs anotados. ANIMAL!

Mas constantes dores nas mãos e nas costas de Calvin Johnson, já o incomodavam além do seu próprio limite. E juntado a isso, as fracas campanhas da franquia alinhavavam com o flerte de encerrar a carreira depois de mais uma temporada terminar na regular e perspectiva que mudaria na seguinte.

Um corpo que foi além das qualidades que o Detroit Lions pôde possibilitar nos anos de NFL

PRECOCEMENTE LEGADO CALVIN JOHNSON ACABA

“Eu não via chances para eles ganharem o Super Bowl naquele momento e, pela dedicação que eu precisava ter, não valia o meu tempo continuar batendo a cabeça contra a parede sem ir à lugar algum. O objetivo de todo mundo quando chega à NFL é ganhar o Super Bowl. Esse é a meta. Eu queria vencer, só não via essa oportunidade com os Lions”, essa frase dita por Megatron, em julho de 2017, em evento da NFL, para promover a liga na Itália, indica os verdadeiros motivos pela sua saída muito cedo do futebol americano.

A data qual ele se refere, e o torcedor do Detroit Lions e o fã de NFL lamenta é o fatídico dia 8 de março de 2016, quando, por meio de nota, o camisa 81 anunciou se retirar da liga por estar cansado do futebol. E tudo que ele tinha abdicado pelo profissionalismo dele durante os jogos, que, naquele momento se sentia bem em deixar aquilo de lado para viver um momento mais familiar e menos atleta. Além disso, o pesadelo dos leões azuis de Detroit se repetiu em menos de 20 anos. Já, que, em 1998, Barry Sanders, também com 30 anos, tendo quatro anos de contrato a cumprir resolveu se aposentar.

Outras Lendas

Ainda não acabou não, hein. A saga biográfica das lendas da NFL no Endzone Brasil já tem publicado matérias de Troy Polamalu, Ed Reed, Brett Favre e Peyton Manning.

Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Comentários