Varejo americano tira produtos dos Redskins da vitrine virtual

Redskins estão com os dias contados em Washington – Foto: Mark Tenally/AP

Parece mesmo que o termo ‘Redskins’ estão com os dias contados no universo americano. Ainda mais na NFL. O Washington Redskins já começa ser afetado em lojas oficiais que vendem seus adereços licenciados da liga. Isso pode ser notado em lojas como Nike e Amazon, que retiraram produtos da franquia de suas lojas.

De acordo com Adam Schefter, da ESPN americana, outras empresas revendedoras também já dão como não encontrada peças dos Redskins, como Walmart e Dick’s Sports Goods . O jornalista também traz a informação que o índio, do logo do clube será tirado do gramado, pois a mudança de nome da franquia da NFL é irrefutável.

Nas redes sociais, os torcedores se dividem na hora de opinar se deve existir uma troca de nome da equipe. Por enquanto, o próprio clube disse repensar ideias, mais não abriu votação, em caso de substituição a Redskins.

Leia mais: Redtails? Presidente? Veja quatro possíveis nomes para a franquia de Washington

REDSKINS ‘FACTS

A problemática do nome Washington Redskins vem do passado. O modo pejorativo e preconceituoso em dizer na tradução literal ‘peles vermelhas’, indicam um tratamento xenofóbico diante dos indígenas. Ainda, sim, muitas vezes isso foi ignorado, nota-se, que, em 2020, a discussão segue. Neste ano, não só se discute, como mudanças estão à caminho.

O acontecimento que trouxe a sociedade americana de volta a discutir esse tipo de linguagem perante ao esporte mais popular do país, que é o futebol americano, ou seja, NFL, foi a morte brutal de George Floyd, em 25 de maio, no estado de Minneapolis que causou revolta mundial.

Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Comentários