Prévia temporada 2020 da NFL: como será o ano do New England Patriots

Campanha em 2019: 12-4 (eliminados pelos Titans no Wild Card)
Principal reforço para 2020: QB Cam Newton
Principal ausência em 2020: QB Tom Brady
Jogadores que assinaram o ‘opt out: – RB Brandon Bolden, OT Marcus Cannon, S Patrick Chung, LB Dont’a Hightower, WR Marqise Lee, OL Najee Toran, FB Danny Vitale, TE Matt LaCosse

Serão os Patriots capazes de manter a hegemonia na AFC East?

Com a inesperada saída de Tom Brady, maior jogador da historia da franquia, os Patriots estão voltando no tempo para uma fórmula testada e comprovada de sucesso, a fórmula que deu início à dinastia mais dominante da NFL há cerca de 20 anos e foi a chave para suas três primeiras vitórias no Super Bowl: uma defesa dominante complementada por um ataque eficiente e um grupo de special teams pronto para capitalizar em suas oportunidades.

PERDEU ALGUMA PRÉVIA? VEJA O GUIA DA TEMPORADA 2020 COM TODAS AS ANÁLISES JÁ FEITAS

Uma defesa que permitiu apenas 14,1 pontos por jogo no ano passado recebeu um impulso de “sangue” jovem e peças de alto potencial no draft. As três primeiras seleções da equipe podem contribuir imediatamente, reforçando um front-seven enfraquecido por algumas saídas de atletas importantes na free agency.

Se as coisas derem certo, o clube que conquistou 11 títulos consecutivos da AFC East pode estar em posição de conquistar mais um, estendendo as perspectivas sombrias por pelo menos mais um ano Buffalo, Miami e New York. Confira o que esperar do New England Patriots na temporada 2020 da NFL!

Cam Newton conta com a revitalização do questionável ataque dos Pats

Cam Newton (1) terá como reservas o jovem Jarrett Stidham (4) e o “rodado” Brian Hoyer (2)(Foto: Divulgação Twitter/New England Patriots)

Em um ataque recheado de dúvidas, a posição de quarterback não deixa de ser diferente. O recém nomeado titular Cam Newton precisa se provar finalmente saudável e ser capaz de se ajustar a um novo esquema, elaborado por Josh McDaniels, que deverá utilizar o estilo atlético de seu novo QB para moldar o plano ofensivo dos Patriots em 2020.

O grupo de running backs dos Pats segue intacto, com Sony Michel tendo mais uma chance de se provar como número um da equipe, porém ele terá a competição do segundo anista Damien Harris, que impressionou no training camp. James White deve ter seu papel de sempre, contribuindo no jogo aéreo e aproveitando-se de duelos favoráveis em alguns esquemas ofensivos.

Se os corredores parecem bem definidos, não se pode dizer o mesmo sobre os wide receivers de New England. Fora o sempre efetivo e experiente Julian Edelman, um dos grandes líderes da equipe como um todo, as outras armas são totalmente questionáveis. N’Keal Harry, seleção de primeira rodada do draft no ano passado, precisa se manter saudável e refinar seu jogo. Damiere Byrd deve ser a “arma de velocidade”, capaz de esticar o campo em rotas profundas, enquanto Jakobi Meyers e Gunner Olszewski, que teve um belo training camp, devem figurar como opções rotacionais.

David Andrews, center, retorna a linha ofensiva após uma temporada tratando de problemas de saúde. Sua presença deve ser fundamental para a constância e efetividade do grupo. O novato Devin Asiasi será exigido desde o primeiro snap na posição de tight end, dividindo espaço com o também novato Dalton Keene, que oferece grande versatilidade e atleticismo, devendo se encaixar de diversas maneiras nos esquemas criativos de Josh McDaniels.

A defesa dos Patriots deve seguir como uma das melhores da NFL

J.C. Jackson (27) é uma das peças mais subestimadas da forte defesa dos Patriots (Foto: Divulgação Twitter/New England Patriots)

Peças experientes saíram e foram substituídas por free agents “abandonados” e novatos cheios de potencial. É a maneira clássica que Bill Belichick emprega em suas defesas desde sempre. A linha defensiva segue sólida: Adam Butler, Lawrence Guy e o recém chegado Beau Allen como principais responsáveis pela contenção do jogo corrido.

Nas “pontas”, o pass-rush dos Pats deve seguir incomodando os adversários, com versatilidade e esquemas “disfarçados”, além de blitzes surpreendentes. Chase Winovich mostrou sua enorme capacidade de atuação no EDGE em 2019 e deve ser utilizado em mais situações neste ano, ao lado do eficiente John Simon.

O novato Josh Uche apresenta tremenda habilidade atlética e pode ser usado em um papel parecido com o de Winovich no ano passado – apenas em situações de pass-rush e special teams. Anfernee Jennings, também um novato, parece mais polido de forma geral e deve ser outro com papel importante neste ano. Sem dúvidas, a ausência de Dont’a Hightower e as saídas da free agency devem ter algum efeito, mas espere uma boa performance do jovem grupo de linebackers dos Pats.

A secundária dispensa comentários. Liderada pelo “Jogador Defensivo do Ano”, o cornerback Stephon Gilmore, o grupo conta com uma grande gama de talento e versatilidade. J.C. Jackson continua sendo um dos cornerbacks mais subestimados da NFL, enquanto Jonathan Jones segue seu belo trabalho, anulando recebedores no slot com toda sua velocidade. Adrian Phillips e o novato Kyle Dugger, primeira seleção da equipe no draft deste ano, devem ocupar o espaço deixado pela ausência de Pat Chung na posição de safety, podendo ambos alinharem-se entre os linebackers e deixando o “centro do campo” para o experiente Devin McCourty.

Há vida sem Tom Brady?

Será que o genial Bill Belichick tem a solução para “a vida sem Tom Brady” em New England? (Foto: Divulgação Twitter/New England Patriots)

Esta é uma resposta que apenas Bill Belichick e a sua equipe “reformada, mas nem tanto” podem responder. É óbvio que, perder possivelmente o maior quarterback da historia do esporte é um golpe duro. No final de sua carreira, mas ainda demonstrando todas suas capacidades. Mas o experientíssimo treinador dos Patriots sabe lidar com adversidades – sua capacidade de tirar o melhor possível de situações que parecem não oferecer nada é mais do que comprovada.

No draft, Bill não buscou nenhum “QB do futuro”. Ele aposta no agora, em Cam Newton, em um ataque revitalizado e retrabalhado por seu coordenador ofensivo, em uma defesa sólida, no nível mais alto da NFL. O campeoníssimo head coach dos Pats sabe como vencer – seja com um ataque explosivo ou com uma defesa impenetrável.

Semana após semana, ele buscará o melhor plano de jogo possível para alcançar a vitória. No final das contas, como citado antes, quem pode responder se os Patriots seguem no topo sem Tom Brady, é Bill Belichick, através de sua execução de planejamento. Veremos.

Como apostar nos Patriots em 2020?

Ganhar o Super Bowl: paga R$ 13 para 1 segundo o Oddsshark.com.

Ganhar a Conferência: paga R$ 8 para 1 segundo o Oddsshark.com.

Ganhar a divisão: paga R$ 2,20 para 1 segundo o Oddsshark.com.

Vai até onde?

É difícil prever algo quando uma equipe perde o maior atleta de sua historia. Se o ataque provar sua evolução, Cam Newton enfim superar suas contusões e todo o resto se manter como ano passado, os Patriots podem surpreender muita gente que está dando o time como “carta fora do baralho”.

O pior pode acontecer, com um ataque abaixo do nível, um time incapaz de produzir ofensivamente e todas ideias de Bill Belichick podem cair por terra. Porém, apostar contra o maior vencedor da historia do esporte é algo meio complicado. E New England já provou, mais de uma vez, do que é capaz quando dado como azarão.

PREVISÃO: 1º NA AFC EAST (11-5)

Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Comentários