CPF na nota, Baltimore? Na prorrogação, Titans vencem os Ravens de virada

A Semana 11 da NFL reservou a reedição da divisional que determinou um dos finalistas da AFC passada – talvez o duelo mais surpreendente dos playoffs do ano passado. Para decepção do Baltimore Ravens, tivemos o mesmo resultado de 2019. O embate entre Tennessee Titans e Ravens foi de muito equilíbrio e viradas – terminando com vitória dos visitantes, no M&T Bank Stadium, neste domingo (22) com o placar 30 a 24. A vitória veio na prorrogação – após um empate por 24 a 24 em tempo real.

Lamar Jackson e Ryan Tannehill, QBs das equipes, tiveram números muito parecidos. Uma INT para cada um deles. Além disso, o quarterback vencedor teve dois TDs lançados contra um. As duas equipes, que possuem muita força no jogo terrestre, tiveram suas respectivas defesas se sobressaindo.

Assim como no duelo da pós-temporada, o destaque vai pra Derrick Henry – que correu para o touchdown da vitória no ‘overtime’ e terminou o jogo com 133 jardas em 28 carregadas.

Como fica?

Os Titans chegam a 7-3 com a vitória e assumem a ponta provisória da AFC South. Já os Ravens estacionam em 6-4 e ficam atrás de Browns (7-3) e Steelers (10-0) na AFC North.

Veja também:

RAVENS SE RECUPERAM E SAEM NA FRENTE

O Cotejo começou muito equilibrado entre as equipes que sabiam que o clima de revanche para o lado Baltimore Ravens era grande, pois na temporada passada foi uma surpresa a derrota no mesmo estádios para os rivais do Titans. Ainda sim, os visitantes foram os primeiros a comemorarem pontos na partida com o TD anotado pelo TE Jonnu Smith. A resposta dos Ravens não foi imediata devido a força defensiva do rival contrária ao jogo de mobilidade de Lamar Jackson. Seja lançando ou optando por corrida. Resultado – as primeiras pontuações vieram com um dos melhores K da liga: Justin Tucker. Dois FGs e pressão nos visitantes.

Após várias tentativas, os Ravens finalmente conseguiram superar a linha defensiva do Tennessee e chegar ao seu primeiro TD na partida. O RB J.K. Dobbins foi quem correu para virar o jogo para os mandantes e não largar mais a liderança no placar. Os rivais até conseguiram queimar o relógio e ficar com a posse todo o restante da primeira etapa, porém, em nenhuma das suas 14 jogadas foi capaz de chegar a um touchdown. Dessa forma, conseguiu apenas diminuir e não igualar o resultado com o chute de 40 jardas do kicker Stephen Gostkowski e fez 14 a 10.

TITANS VENCEM NA PRORROGAÇÃO

A volta do intervalo se tornou favorável aos Ravens. Isso porquê, enfim, o QB Lamar Jackson conseguiu ter êxito no seu primeiro lançamento para touchdown na partida. O alvo da vez na jogada foi Mark Andrews, TE da franquia dos Ravens, que teve a missão para segurar a bola no passe de 31 jardas do camisa 8. Todavia, isso foi o único momento vibrante dos mandantes. Daí em diante, Tennessee Titans tomou conta do cotejo. Isso já contando uma INT de Amani Hooper para cima do MVP da temporada regular em 2019.

Posteriormente sabendo da diferença de 11 pontos, Tannehill e seus companheiros começaram a ser mais agressivos no jogo e conseguiram diminuir o prejuízo em mais dois FGs de Gostkowski. Poucos segundos do ‘two-minute warning’, A.J. Brown carregou a defesa dos Ravens para virar a partida em favor dos visitantes. Com a importância do ponto, com um ‘read-option’, o quarterback camisa 17 anotou uma conversão de dois pontos para fazer 24 a 21.

Os Ravens reagiram com um empate em chute de 29 jardas de Justin Tucker. A primeira posse do ‘overtime’ foram dos mandantes, mas desperdiçada na sequência. Contudo, o Tennessee Titans teve a oportunidade de vencer e não titubeou. O RB Derrick Henry escapou numa corrida de 29 jardas e fez 30 a 24 para vencer de novo os rivais na casa deles.

PRÓXIMOS JOGOS

A equipe do Baltimore Ravens voltam a campo na próxima quinta-feira(26), para fazer o ‘Thursday Night Football’, contra o Pittsburgh Steelers, às 22h20 (Brasília), no Heinz Field, no último jogo do ‘ThanksGiving’. Já os Titans vão sair para enfrentar o Indianapolis Colts no próximo domingo (29), no Lucas Oil Stadium, às 15h (Brasília).

Comentários